As razões para a fraqueza da personalidade da criança

As razões para a fraqueza da personalidade da criança

As razões para a fraqueza da personalidade da criança

Alguns comportamentos negativos e traumas psicológicos podem levar a problemas na formação da personalidade da criança e afetar sua autoconfiança. Continue lendo o artigo a seguir para aprender mais sobre os motivos da fraqueza da personalidade da criança.

A infância e a pré-adolescência são etapas importantes e básicas para a formação da personalidade da criança e o aprendizado de como lidar com os outros, então quais são os motivos da fragilidade da personalidade da criança?

As razões para a fraqueza da personalidade da criança

Algumas situações pelas quais a criança passa desde a infância decorrentes do comportamento dos pais e adultos em relação à criança podem levar a efeitos negativos na saúde psicológica e mental da criança, podendo levar a criança a perder a confiança.

Aqui estão as principais razões para a personalidade fraca e baixa autoconfiança de uma criança:

  1. A criança foi exposta a trauma psicológico

A exposição de uma criança a um trauma psicológico que afeta muito o curso normal de sua vida pode levar à sua personalidade fraca, especialmente o trauma psicológico resultante da existência de problemas entre os pais que levam ao divórcio ou separação, devido ao seu papel influente na formação de a personalidade da criança como pais é um suporte psicológico para ela neste estágio.

  1. A criança foi submetida a abuso físico ou psicológico

Uma das razões para a fraqueza da personalidade da criança é sua exposição a abusos físicos ou psicológicos nas mãos dos pais ou adultos próximos na vida da criança, o que faz com que ela se sinta fraca e perca a confiança em si mesma e nas pessoas ao seu redor e seu sentimento de medo de se expressar ou se defender.

Além disso, a exposição da criança a assédio físico ou verbal e bullying, ou por meio de redes sociais, leva a um impacto negativo na visão da criança de si mesma e em seu sentimento de vergonha por sua incapacidade de se defender, o que pode levar à perda de confiança da criança em si mesmo e nas pessoas ao seu redor e seu desejo de se isolar do ambiente.

  1. A criança sofre de doenças crônicas

O fato de a criança sofrer de problemas de saúde ou doenças crônicas pode fazer com que ela se sinta fraca e incapaz de acompanhar seus pares, seja em atividades físicas ou acadêmicas, o que pode causar na criança um complexo de inferioridade por se comparar a outras crianças e perdendo sua autoconfiança.

Além disso, o fato de a criança sofrer de doenças psicológicas, como depressão ou ansiedade causada pela doença, pode levar à sua incapacidade de se integrar ao ambiente, o que causa fraqueza na personalidade da criança e abala sua autoconfiança.

  1. O sentimento de inadequação da criança

O sentimento de inadequação, incompetência ou capacidade de uma criança de obter bons resultados em várias atividades de sua vida leva a uma perda de autoconfiança e, consequentemente, a uma personalidade fraca, especialmente se ela não conseguir obter bons resultados na área em que se destaca .

A questão agrava a exposição da criança às críticas ou pressões dos pais ou professores para obter melhores resultados, expressando sua decepção com a criança ou suas conquistas, ou comparando-a com seus colegas e os resultados que alcançam.

Sinais da personalidade de uma criança fraca

Depois de aprender sobre as razões da fraca personalidade da criança, existem muitos sinais que a criança pode mostrar em suas palavras ou comportamento e indicar a vibração de sua autoconfiança e a fraqueza de sua personalidade, que muitas vezes pode ser observada através do comportamento da criança com os outros.

Aqui estão os principais sinais desse problema:

Evite passar por novas experiências, socializar e brincar com outras crianças.

A crítica contínua da criança a si mesma e às suas ações e sua falta de crença em elogios ou elogios como resultado da perda da autoconfiança e da subestimação de suas habilidades.

Comparar a criança consigo mesma com seus colegas e seu sentimento de inferioridade e de que ela é inferior aos outros.

Culpe a si mesmo quando houver qualquer problema com ele ou com as pessoas ao seu redor.

Concentrar-se nas tentativas fracassadas às quais está exposto, ou no fracasso em atingir um objetivo específico, ao invés de suas realizações e experiências bem-sucedidas.

O desejo da criança de isolar e evitar certos lugares ou pessoas, especialmente se ela for submetida a abusos físicos ou psicológicos, como bullying.

Como pode aumentar a autoconfiança da criança?

Existem muitas ações que os pais podem seguir para aumentar a autoconfiança da criança e evitar o sofrimento de fraquezas em sua personalidade. Aqui estão as dicas mais importantes que você pode seguir:

Assegure-se de que a criança sinta amor e apoio e forneça apoio psicológico e incentivo ao adotar o comportamento correto ou realizar uma determinada conquista.

Incentivar a criança a se expressar e expressar sua opinião, sem medo de críticas, caso sua opinião seja diferente da de outras pessoas.

Inscrever a criança em programas e atividades extracurriculares, a fim de ampliar sua consciência, seus interesses e sua capacidade de dialogar com outras pessoas e formar relações sociais, por causa de seu impacto significativo na formação da personalidade da criança.

Incentivar a criança a dar o seu melhor nas atividades que adora, sem forçá-la ou pressioná-la a realizar certas realizações.

Ficar longe de críticas severas ao comportamento da criança e compará-las com os de seus colegas e ficar satisfeito com críticas construtivas contribui para o desenvolvimento da personalidade da criança e sua capacidade de aceitar suas habilidades pessoais sem comparações.

Preste atenção ao comportamento da criança, especialmente quando seu comportamento usual muda repentina e negativamente, como seu constante sentimento de tensão ou frustração ou sua falta de vontade de ir à escola, o que pode indicar que ela está sofrendo bullying.

Compartilhe o artigo  com colegas e associados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *