Sintomas de coração dilatado em crianças e métodos de diagnóstico

Sintomas de coração dilatado em crianças e métodos de diagnóstico

Um coração dilatado é uma condição em que o coração se torna muito grande e não consegue bombear o sangue com a mesma eficiência.

Existem muitas causas diferentes para um coração dilatado, mas em crianças, a causa mais comum é a cardiomiopatia.

Os sintomas da cardiomiopatia dependem da gravidade da doença. Se não for tratada, a cardiomiopatia pode levar à insuficiência cardíaca e morte.

Felizmente, existem maneiras de diagnosticar e tratar a doença antes que piore.

Aqui está o que você precisa saber sobre a cardiomiopatia em crianças e como ela é diagnosticada e tratada.

O que é cardiomiopatia?

Cardiomiopatia é o nome de um coração dilatado que não bombeia o sangue com a eficiência que deveria.

Cardiomiopatia é o nome de um coração dilatado que não bombeia o sangue com a eficiência que deveria. O coração é o principal órgão de bombeamento do corpo humano.

Ele bombeia sangue através do sistema circulatório do corpo para fornecer sangue rico em oxigênio aos órgãos e tecidos de todo o corpo.

O coração tem câmaras que permitem que o coração se encha de sangue e bata em um ritmo regular. As câmaras do coração são divididas em lados esquerdo e direito e os ventrículos.

Os ventrículos são as câmaras por onde o sangue é bombeado.

A cardiomiopatia é uma condição que faz com que as câmaras de bombeamento do coração se tornem aumentadas, rígidas e menos eficientes do que deveriam.

Sintomas de cardiomiopatia em crianças

A cardiomiopatia é uma condição que faz com que o coração fique dilatado e a capacidade do coração de bombear sangue pelo corpo pode ser diminuída.

Aqui estão alguns sintomas que podem indicar cardiomiopatia em seu filho. Dificuldade para respirar Dor no peito Falta de ar Sensação de fadiga ou tontura Fadiga súbita Fadiga após brincar ou se exercitar Falta de ar É importante observar que algumas crianças têm maior probabilidade de apresentar esses sintomas do que outras.

Algumas crianças podem ficar com falta de ar devido a doenças subjacentes, como asma, enquanto outras podem simplesmente ter uma “anomalia” em seus corações.

O médico pode perguntar se seu filho foi hospitalizado recentemente.

Diagnosticando cardiomiopatia

O principal sintoma da cardiomiopatia é o aumento do tamanho do coração.

Também podem ocorrer alguns sintomas, como falta de ar, fraqueza, dor no peito, sudorese e palpitações. Para diagnosticar cardiomiopatia, um médico solicitará exames de imagem.

Isso pode incluir um eletrocardiograma (ECG), ecocardiograma ou ultrassom.

O médico provavelmente pedirá exames de sangue para avaliar a atividade do coração e procurar sinais de função anormal.

Os médicos também podem realizar um cateterismo cardíaco para verificar se há estreitamento das artérias pulmonares.

O tratamento da cardiomiopatia depende da extensão da doença. O tratamento geralmente visa evitar que o coração cresça ainda mais e que o bombeamento seja o melhor possível.

Tratamento de cardiomiopatia

Os médicos têm vários medicamentos que podem reduzir os sintomas e prevenir a insuficiência cardíaca. Esses medicamentos também podem diminuir a frequência cardíaca, o que permite que sangue suficiente alcance o cérebro, o coração e outros órgãos.

Medicamentos para cardiomiopatia incluem injeções de Lovenox Sotalol Aldactone Esteróides anabolizantes Lapatinib Brometo de sedatônio Outros medicamentos, como inibidores da enzima conversora de angiotensina, dispositivos de assistência ventricular e dispositivos que ajudam a contornar o coração também são usados ​​para tratar problemas cardíacos.

O tratamento medicamentoso geralmente envolve doses múltiplas administradas diariamente ou semanalmente. Se não conseguirem controlar o coração dilatado, os médicos podem recomendar o cateterismo cardíaco, que envolve a inserção de um minúsculo dispositivo na virilha para abrir um vaso sanguíneo no coração.

Conclusão

É verdade: ser um jovem atleta pode ser ótimo para o corpo e a mente. A pesquisa sugere que as crianças que praticam esportes têm um risco menor de desenvolver doenças cardíacas mais tarde na vida.

Contanto que seu filho seja aprovado em um exame físico pré-participação, é provável que ele esteja bem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *