Constipação na gravidez 

Constipação na gravidez 

O que é prisão de ventre e por que isso acontece com uma mulher grávida ?

A constipação, intestino ou constrição, é caracterizada por dificuldade de defecar. A doença é observada quando há evacuação duas ou menos vezes por semana, usando mais força do que o necessário ou quando é pouco frequente.

A prisão de ventre durante a gravidez é prejudicial ao feto?

A constipação durante a gravidez não afeta o feto. No entanto, além dos sintomas, se uma mulher sentir náusea ou dor forte no abdômen ou em um lado, um obstetra deve ser consultado.

as razões

dilatação uterina

Durante a gravidez, à medida que o útero cresce para acomodar o bebê, o estômago e os intestinos se comprimem, o que afeta seu funcionamento. O intestino retido pode piorar a partir do quarto mês de gravidez, pois o feto ficará maior e, portanto, restringirá ainda mais o espaço intestinal.

hormônio progesterona

Por sua vez, o aumento do hormônio sexual progesterona durante a gravidez – responsável pela progressão das glândulas mamárias, do útero durante a puberdade, além de melhorar a aparência do revestimento uterino durante o ciclo menstrual – agrava o aparecimento de gases no corpo , deixando o intestino mais preguiçoso.

Suplementos contendo ferro

Quando não há ferro suficiente no corpo da mulher durante a gravidez, é comum o obstetra prescrever suplementos nutricionais para corrigir o problema. O ferro é um mineral que auxilia na produção de hemoglobina (proteína do sangue responsável pelo transporte de oxigênio para as células) e garante o bom funcionamento do sistema imunológico.

Na gravidez, obter a quantidade certa do mineral no corpo humano é essencial, pois o sangue é mais abundante durante esse período e, portanto, é necessária mais hemoglobina. O ferro também é usado pelo bebê em crescimento e pela placenta até os primeiros três meses. Apesar dos benefícios, o uso de suplementos nutricionais pode afetar o relógio biológico do corpo.

fatores de risco

Maus hábitos e condições físicas contribuem para o surgimento do problema. são eles:

Não vá ao banheiro

Em geral, as mulheres geralmente preferem não usar os banheiros públicos devido à falta de higiene no local. No entanto, essa prática obstrui o intestino e também altera o funcionamento do esquema biológico.

Uma dica para usar novamente os banheiros públicos é limpar a tampa do vaso sanitário com álcool gel ou cobri-la com papel higiênico.

estilo de vida

Ser uma pessoa sedentária e não comer alimentos saudáveis ​​contribui para um intestino preso. É por isso que é importante ser fisicamente ativo, beber muita água e comer alimentos ricos em fibras.

farmacêutico

Medicamentos usados ​​para vários fins – antidepressivos, supressores de tosse (tratamento da tosse), analgésicos opioides (relacionados à morfina), anti-hipertensivos e antiácidos contendo alumínio e cálcio – contribuem para o início da constipação.

Mudança de hormônios

Certas doenças, como hipotireoidismo, diabetes, insuficiência renal crônica e alterações hormonais causam ou dificultam o uso e a expulsão de substâncias, facilitando o aparecimento da constipação.

Doenças do sistema nervoso e muscular

Lesões na medula espinhal e esclerose múltipla prejudicam o relaxamento perineal quando as fezes são expelidas.

Psicológico

Situações que causam trauma e mudanças de comportamento, como abuso sexual, depressão e demência, prejudicam o funcionamento do intestino. O estresse e a ansiedade também diminuem os movimentos peristálticos, que são involuntários e responsáveis ​​pelo esvaziamento intestinal.

Sintomas de constipação

Os sintomas mais comuns são:

  • crams;
  • Rigidez abdominal.
  • inchaço;
  • desconforto abdominal;
  • Dificuldade em passar fezes.
  • fezes duras ou fragmentadas
  • sensação de que você não saiu completamente;
  • você tem a impressão de que houve um bloqueio anal;
  • Defecar pelo menos três vezes por semana.

Como é feito o diagnóstico?

Normalmente, a maioria das mulheres não sente necessidade de diagnosticar a constipação. No entanto, em casos com sintomas mais graves, deve-se procurar ajuda médica.

Para eliminar o intestino obstruído, é realizada uma investigação da história do paciente, bem como um exame clínico detalhado. A partir daí, a causa do problema pode ser descoberta e o tratamento adequado pode ser obtido. são eles:

Inspeção e palpação perianal

Por meio do exame e da palpação anal, verifica-se a aparência da pele do ânus, a presença de cicatrizes e o estado das secreções. No exame, também pode ser verificado se há restos fecais, bem como o trabalho de abrir e fechar o ânus. A pele do ânus pode ser separada para melhor ver o interior. Se houver fissura anal, por exemplo, ela pode ser observada.

reto digital

O teste é feito inserindo o dedo indicador (enluvado) no ânus, em busca de relaxamento muscular. O objetivo deste procedimento é detectar possíveis infecções retais, a presença de sangue ou tumores.

endoscopia anal

No ânus, é inserido um instrumento denominado anoscópio, que investiga complicações na região anal. O material coletado é anotado se se trata de fezes, pus ou sangue, além do diagnóstico de úlceras e fissuras anais.

proctosigmoidoscopia

O exame é feito inserindo um dispositivo no ânus que visualiza as partes intestinais, reto e cólon, Wen. Caso seja detectada lesão, a análise é feita por meio de biópsia, que consiste na retirada do material com pinça.

O que devo fazer para tratar a constipação durante a gravidez?

Na maioria dos casos, basta modificar a dieta alimentar, beber água e praticar atividades físicas. Alimentos que ajudam o funcionamento do intestino e são ricos em fibras devem ser consumidos diariamente. Ir ao banheiro ao mesmo tempo também melhora o fluxo intestinal.

Se o problema persistir, consulte um médico.

O obstetra pode prescrever laxantes e supositórios nesses casos ou em casos mais graves. O medicamento descrito deve ser tomado várias vezes para que o organismo não se acostume e seja usado constantemente. E o supositório, por sua vez, deveria ser o glicerol, que torna as fezes úmidas, facilitando a excreção.

Truques caseiros contra constipação

Alimentos ricos em vitaminas, cálcio, ferro e propriedades laxantes ajudam o intestino a funcionar adequadamente e a aliviar os sintomas causados ​​pela constipação. No entanto, a eficácia das receitas caseiras não está comprovada.

É importante ressaltar que mesmo os suplementos nutricionais contendo vitaminas e laxantes naturais devem ser tomados com licença médica, pois alguns ingredientes podem promover as contrações uterinas e devem ser evitados durante a gravidez. Além disso, a eficácia das receitas caseiras não está comprovada. Siga sempre as recomendações do seu médico.

Dica 1

  • Ingredientes
  • meio mamão (retire a casca e as sementes);
  • 4 pêssegos pretos sem caroço;
  • 200 ml de suco de laranja
  • 20 gramas de linhaça moída.
  • Como preparar

No liquidificador, bata o mamão, as ameixas e o suco de laranja. Em seguida, adicione as sementes de linho e misture bem. O suco deve ser consumido pela manhã em jejum.

 

Dica 2

  • Ingredientes
  • 1 mamão (retire a casca e as sementes);
  • suco de 2 laranjas
  • 1 colher de sopa de sementes de linho.
  • açúcar conforme desejado.
  • Como preparar

Misture todos os ingredientes no liquidificador. Beba uma xícara diariamente pela manhã.

 

Dica 3

  • Ingredientes
  • 5 ameixas
  • Meia xícara (chá) de água.
  • 3 colheres de chá de mel.
  • Como preparar

Mergulhe as ameixas em água por 3 horas. Descasque a ameixa e amasse. Coloque-os de volta na água e adicione o mel. Misture bem e beba 3 colheres de sopa ao dia.

Remédios para constipação

  1. bisacodil (Dulcolax);
  2. citrato de sódio (Microlax);
  3. lactulose (Lactulona);
  4. macrogol 3350 + bicarbonato de sódio + cloreto de sódio + cloreto de potássio (Movenlax);
  5. Polidextrose + Lactitol (Norman Vet).
  6. Atenção!

 

Nunca se automedique ou pare de usar um medicamento sem consultar primeiro o seu médico. Só ele poderá determinar o medicamento, a dosagem e a duração do tratamento mais adequados para o seu caso específico. As informações apresentadas neste site destinam-se apenas a informá-lo e de forma alguma a substituir o conselho de um especialista ou a servir de recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções do folheto e, se os sintomas persistirem, consulte um médico ou farmacêutico.

viva saudavelmente

Em geral, mudar alguns hábitos alimentares e estilo de vida é suficiente para tratar a constipação. Veja as recomendações:

Acostume-se com seu relógio biológico

Acostume-se a evacuar de manhã, assim que acordar ou após o café da manhã, pois seus intestinos funcionam melhor nessas condições. Além disso, a defecação neste momento permite maior calma e diminuição do tamanho do abdômen, facilitando as atividades diárias. Portanto, ajuste seu mecanismo intestinal e espere o tempo que for necessário no banheiro até que possa evacuar.

A maneira correta de sentar

Quando nos sentamos no banheiro, geralmente deixamos nossos pés apoiados no chão. Porém, essa prática é considerada incorreta, pois a posição pressiona o reto e as fezes não se movem adequadamente, o que pode causar problemas como hemorróidas e hérnias.

Recomenda-se realizar a evacuação na posição de cócoras, ou seja, os pés são levantados por banqueta. Dessa forma, o reto é alongado, o que facilita a eliminação das fezes. Essa posição também garante que não haja nenhum vestígio de fezes, o que é comum quando se está sentado, o que contribui para a expulsão de bactérias e toxinas do corpo.

Comida

Uma alimentação saudável melhora o condicionamento de nossos próprios corpos.

Alimentos ricos em fibras

Grãos integrais, cereais, frutas e vegetais devem ser consumidos diariamente. Invista em cereais integrais (à base de farelo de trigo), pêssegos, maracujá, amêndoas com casca, repolho, gergelim, ervilhas, maçãs, peras com casca e tangerinas. Existem opções de produtos que são abundantes em fibras solúveis, no entanto, você deve consultar seu obstetra antes de utilizá-los.

Alimentos ricos em água

Melancia, morango, melancia, rabanete, tomate, nabo são alguns dos alimentos que se encontram em abundância na água.

Em caso de inchaço, evite alimentos que possam fermentar, como feijão, repolho ou lentilhas. Reduzir a ingestão de doces e alimentos fritos é bom para o corpo.

Lista de mulheres que sofrem de prisão de ventre durante a gravidez

Algumas alternativas do menu ajudam a melhorar gradualmente a constipação. O ideal é manter uma alimentação variada e saudável que contenha todos os nutrientes de que o corpo necessita:

café da manhã

Coma alimentos ricos em vitaminas e minerais (como cálcio, ferro e potássio). Entre as opções estão pão integral, queijo branco e suco natural de laranja.

Lanche da manhã

O leite fermentado é uma ótima opção, pois evita o crescimento de bactérias que prejudicam o intestino.

almoço

Dê preferência a alimentos que contenham vitaminas, fibras, ferro e antioxidantes. Saladas (agrião, cenoura, tomate, brócolis, repolho), arroz integral e carnes como frango ou peixe garantem uma refeição balanceada.

Lanche da tarde

À tarde, aposte no kiwi que tem função laxante. O iogurte e as vitaminas também ajudam no funcionamento do intestino.

Jantar

Coma mais fibras e vitaminas para evitar a vontade de comer de madrugada. Entre as opções estão saladas (alface, chuchu, beterraba e tomate), purê, sopa, feijão e arroz integral.

jantar

o chá J, assim como o funcho e a camomila, contribui para a melhora do fluxo intestinal. Os iogurtes desnatados com frutas, além de pobres em gorduras, são fontes de cálcio e fibras.

hidratação corporal

Um defeito na função intestinal está associado à falta de água. Portanto, beba 1,5 a 2 litros de água por dia. Para facilitar o controle do consumo, coloque água na mamadeira e beba durante o dia. Para quem não consegue beber a água pura, uma forma é temperá-la com frutas.

Atividade física

A atividade física de uma mulher grávida deve ser moderada. Faça caminhadas leves, alongamento, ioga e hidroginástica. Os exercícios ajudam a controlar a massa corporal e a reduzir a pressão que o feto exerce sobre os intestinos. Essa prática é recomendada para todas as mulheres, pois contribui para o bom funcionamento da evacuação.

Múltiplo

hemorróidas

Um intestino bloqueado pode evoluir para hemorróidas precisamente por causa da disfunção do trato intestinal. Devido à falta de fibras no corpo, as fezes ficam duras, o que requer mais esforço na evacuação.

Como resultado, há pressão e anormalidade nas veias do reto e ânus, causando hemorróidas. A doença apresenta sintomas como desconforto, sangramento, queimação e coceira.

O diagnóstico feito na fase inicial do tratamento permite reduzir os sintomas e estabilizar a patologia. No entanto, só é curado por meio de cirurgia.

fissura anal

As fissuras anais podem ser confundidas com hemorróidas, pois apresentam sintomas semelhantes, como dor e sangramento no momento da evacuação.

Porém, neste caso, há uma “ruptura” dentro do ânus causada pela constipação. Isso acontece porque as fezes que são muito duras ou grandes para evacuar podem danificar a mucosa anal, resultando em uma fissura anal.

O tratamento adequado varia para cada paciente. Consiste em cremes anestésicos e, em alguns casos, laxantes, conforme orientação do médico.

prolapso retal

O prolapso retal ocorre quando parte do intestino grosso é exposta fora do ânus. Isso é causado pela força aplicada no momento da evacuação, que na maioria dos casos causa prisão de ventre.

Os sintomas incluem dor abdominal, dificuldade para defecar e sensação de queimação na região anal. Para se livrar do desconforto, é necessário fazer uma cirurgia para retirar essa parte visível ou fixá-la no sacro através do períneo ou abdome.

como prevenir

Além de seguir uma dieta balanceada e exercitar o corpo para melhorar o funcionamento do intestino, apostar em exercícios que ajudem na evacuação também reduzem o risco de doenças:

Tente evacuar no mesmo horário todos os dias por 10 minutos até que seu corpo se acostume;

Certifique-se de ir ao banheiro quando sentir vontade, pois as fezes podem voltar para os intestinos, fazendo com que as fezes cresçam e evitem a defecação.

A constipação intestinal durante a gravidez é uma doença desagradável que não prejudica o bebê. Seguir uma rotina saudável previne e trata o problema.

Portanto, preste atenção às informações da publicação. Compartilhe com seus amigos e mães! ++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

 

referências

http: //www.mymedinform.com/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *